8.11.08

Hoje, com Edmundo Pedro
















O almoço, que reuniu cerca de duzentas e cinquenta pessoas que festejaram o seu 90º aniversário, está a ser largamente noticiado.

Já esta manhã, o jornal Público dedicara ao acontecimento duas páginas que copiei na íntegra. Merece uma especial atenção o texto que tem como título: «À espera da retractação de Eanes, 33 anos depois». Como é do conhecimento geral, Edmundo Pedro esteve envolvido num complicado processo relacionado com detenção de armas, em 1975, razão pela qual foi detido três anos mais tarde, mantendo-se na prisão durante seis meses.

Ramalho Eanes não esteve presente no almoço, mas a reabilitação desejada foi feita por Vasco Lourenço: «Hoje compreendo bem o que se passou (...). Estou em condições de afirmar que o Edmundo foi vítima dos que precisaram dele e mais tarde lavaram as mãos (...). É justo que se diga que não se tratou só de militares, mas também de civis que fizeram o mesmo em nome de “princípios superiores”». Para além destas afirmações, Vasco Lourenço entregou como «prenda» a Edmundo Pedro um detalhado relatório que o Comando Geral da GNR elaborou agora, a seu pedido, e que vem repor a verdade dos factos, há tanto desejada pelo visado.

Notáveis foram as palavras que Edmundo dirigiu a todos os presentes. Comovidas, evidentemente, calorosas, mas também com um grande vigor, sem arrependimentos, sem rancores, com uma impressionante compreensão de tudo e de todos.

Com dedicatória

O pior é que ela começou a falar

7.11.08

Soares vs Cunhal - 7/11/1975

Há trinta e três anos, o país parou durante quatro horas (das 10 da noite às duas da manhã) para assistir a um frente-a-frente entre Mário Soares e Álvaro Cunhal, no debate mais célebre do PREC - a poucos dias de este chegar ao seu fim.

Ficou para a história uma frase com que Cunhal respondeu a Soares quando este afirmou que o PC dava provas de querer transformar Portugal numa ditadura:
«Olhe que não! Olhe que não!»

Aqui fica um vídeo - é sempre interessante revê-lo. E também um texto com alguns excertos do que foi dito (*).




(Clique no texto para o ler.)








(*) Adelino Gomes e José Pedro Castanheira, Os dias loucos do PREC, Expresso / Público, Lisboa, 2006, pp. 382-383.






P.S.– José Carlos Megre, E eu que já não me lembrava de que tinhas esta no teu currículo!

6.11.08

As «expectativas» do PCP


«Para o PCP a eleição de Barack Obama como presidente dos EUA está longe de corresponder às expectativas que a gigantesca campanha mediática mundial procurou criar para construir a ilusão de uma mudança e de uma viragem na política dos EUA e do seu papel na esfera internacional.»

Já outros citaram, sem nada acrescentar – de facto, comentários para quê. Só uma pergunta: quais terão sido, para o PCP, as «expectativas» criadas para uma «ilusão de mudança»? Alguém quis convencer o mundo que os Estados Unidos passariam directamente da administração Bush para o socialismo? Para o comunismo?

Pergunta que ficará sem resposta, porque, contrariamente aos meus princípios, os Comentários estarão off neste post. Ainda não me refiz de todos os dislates que aqui aterraram durante a semana passada.

De aves agoirentas está o inferno cheio. Não chegarão para matar a esperança que a madrugada de 5 de Novembro criou nos homens livres deste mundo.

5.11.08

E o Youtube ali tão perto

Ontem, em pleno serão televisivo eleitoral, recebi o seguinte mail:

Ms. Lopes:
Thank you so much for posting my video on this site. If you have any ideas for posting on similar sites around the world, please let me know.
Robert M. Woods


Parecendo-me puro spam, ia apagar quando me lembrei desta balada, mais ou menos ingénua, que encontrei por puro acaso no Youtube e que publiquei há uns dias.

O dito Robert Woods ainda me disse mais tarde que estava em Moscow Idaho, USA - um estranho diálogo com a América profunda, enquanto à minha frente desfilavam mapas e números e quando ainda nada parecia decidido. Não cheguei a perguntar-lhe em quem tinha votado.

P.S. - Já perguntei: votou Obama, pois claro...

Um passo em frente

We hope so


Boomp3.com

4.11.08

Quote of the Week

«I believe that banking institutions are more dangerous to our liberties than standing armies. If the American people ever allow private banks to control the issue of their currency, first by inflation, then by deflation, the banks and corporations that will grow up around the banks will deprive the people of all property until their children wake-up homeless on the continent their fathers conquered.»
Thomas Jefferson 1802
(April 13, 1743 – July 4, 1826) was the third President of the United States (1801–1809), the principal author of the Declaration of Independence (1776).

Grandes democratas

No Uruguai, é hoje votada pela Câmara dos Deputados do Parlamento a eventual despenalização do aborto.

Mesmo que a lei seja aprovada, o presidente socialista Tabaré Vázquez já ameaçou vetá-la e o arcebispo de Montevideu declarou que os deputados que votem a favor estarão excomungados ipso facto.

As uruguaianas continuarão a fazer abortos.

BP(de bons e maus)N

«Cabo Verde avisou Constâncio para "irregularidades" em Março.»
Mas o pombo-correio desorientou-se e levou oito meses a chegar a Lisboa.

Goodbye George

3.11.08

Regressado

...o Melancómico. Quem nos crava a tantos para outras conversas, não faz mais do que a sua obrigação dando-nos a ler umas prosas.

Edmundo Pedro - 90º Aniversário

CONVITE

Estimada(o)s amiga(o)s

No próximo dia 8 de Novembro, sábado, o nosso querido amigo Edmundo Pedro atinge a linda idade de 90 anos.

Um grupo de amigos tomou a iniciativa de promover um almoço de confraternização, para que todos possamos abraçá-lo e manifestar-lhe a nossa amizade, consideração e apreço pelo seu exemplo de cidadão, numa vida plena de luta pelos ideais da Liberdade, da Democracia, da Justiça, da Solidariedade.

Cidadão activo e coerente, queremos dizer-lhe que o estimamos e reinvindicar a sua amizade por muitos anos.

O almoço com o preço de 28 euros (já inclui a prenda para o Edmundo) terá lugar no restaurante Espaço Tejo (antiga FIL, à Junqueira), em Lisboa, às 13h00.

Poderão inscrever-se através dos seguintes contactos:

Tel 213951221 - fax 213951222
E-mail - edmundo.pedro.90a@gmail.com

“P’A Comissão Organizadora”,
Vasco Lourenço

Ainda a propósito da biografia de um inspector da PIDE

«O PCP é hoje uma relíquia estimável se for mantida à distância, como curiosidade sociológica. Se o deixam à solta ele faz o que sabe: destrói arquivos, apaga fotografias, escreve resumos de manuais, insulta. No caso do último livro de Irene F. Pimentel o comportamento do director do jornal Avante foi paradigmático.»

A ler, na íntegra, o texto de Luís Januário.

2.11.08

Costumes que já foram brandos

Jorge Fiel, hoje no DN:

«Aos olhos da Igreja Católica, Sá Carneiro viveu em pecado com Snu. Paulo Portas, o líder do nosso partido mais conservador, é um solteirão. Haider, o líder da extrema-direita austríaca, era homossexual. Manuela Ferreira Leite, a líder do PSD, está separada. José Sócrates, o primeiro-ministro e líder do moderado PS que recusou o casamento gay, é divorciado.
Curiosamente, só os líderes dos dois partidos da extrema-esquerda do nosso arco parlamentar, Jerónimo e Louçã, mantêm casamentos que preenchem os requisitos exigidos pela Igreja e por um presidente que publicitou estar a engolir um sapo quando ratificou a nova Lei do Divórcio. Já chega de hipocrisia, não acham?»


Não será tanto assim porque não acredito que Louçã e Jerónimo de Sousa sejam casados pela Igreja (e daí?...) e, portanto, aos olhos desta, vivem amancebados - é assim que se diz. Como era também o caso de Mário Soares e de Jorge Sampaio. (Quem não se lembra do célebre episódio em que o papa recusou recebê-lo com a mulher, exactamente por esse motivo, e não, como se disse por aí, por ele ser divorciado de um primeiro casamento: para a Igreja, este não tinha existido porque era apenas civil tal como o segundo.)

Assim sendo, quem nos resta? Pois Cavaco Silva, evidentemente, virtuoso e impoluto. Mas que, um dia destes, engolirá muitos mais sapos, olhando de soslaio para a flor de laranjeira das fotos de casamento.

Espanha - Memória histórica