27.4.12

25 de Abril, de vez em quando



Quantos mais dias passam, e mais comentadores oiço, mais acertada me parece a decisão dos que renunciaram ao convite para assistirem à sessão comemorativa do 38º aniversário do 25 de Abril na Assembleia da República. Sentimento reforçado quando recordo o conteúdo e a forma do discurso de Cavaco. Hoje, li a melhor «análise» que lhe foi feita – porque mais vale rir…

«Se o discurso do Presidente da República, de comemoração do 25 de Abril, tinha como temas centrais a - nanotecnologia, telemóveis 4G e o Twitter - o Vasco Lourenço não ia lá fazer nada. Na Associação 25 de Abril só têm um furriel que percebe umas coisas de informática. 

Cavaco conseguiu enfiar - nanotecnologia e 25 Abril de 74 - no mesmo discurso. Foi a primeira homenagem a uma revolução que incluiu uma menção a cartões pré-pagos de telemóvel. Estou ansioso por ouvir o discurso do 1 de Maio sobre domótica. 

O Presidente disse que "na rede Twitter, o português é a terceira língua mais utilizada". É verdade, mas é quase tudo para dizer mal dele. O Presidente falou de portugueses com sucesso lá fora, como: João Salaviza, Joana Vasconcelos, Miguel Gomes. Foi o momento RTP2 de Aníbal. Temos que colocar a hipótese de Cavaco se ter enganado e ter lido o discurso que tinha guardado para a António Arroio. (…) 

O nosso primeiro dever é o dever de explicar Portugal ao mundo e deixar o mundo impressionado. Em cada portuguesa, uma guia de turismo. Em cada português, um Zezé Camarinha. » 

Na íntegra aqui.
.