16.7.13

O ataque de Cavaco aos partidos



Absolutamente correcto, este comentário de Luís Menezes Leitão, hoje no «i». É por estas e por outras que a nossa democracia está em tão mau estado.

«Cavaco Silva decidiu atacar os três principais partidos portugueses forçando-os a um acordo. (...)
Este ataque deveria ter tido uma resposta à altura. O primeiro-ministro deveria ter imediatamente comunicado que é a ele que cabe decidir a composição do seu governo, por isso ou o Presidente o demitia ou dava posse imediatamente aos novos membros do governo. Ao mesmo tempo, avisaria que, se fosse demitido, a maioria rejeitaria no parlamento qualquer governo de iniciativa presidencial, fosse ele dirigido por um Monti ou por um Tonti. E quanto ao acordo com o PS é no parlamento e não em Belém que esses acordos são discutidos, não cabendo ao Presidente a iniciativa de os propor. (...)

Ao aceitarem submeter-se a este ultimato, os líderes partidários prestaram um mau serviço à democracia, que fica em risco com essa sua menorização.»
.