Páginas

3.1.16

Peniche: há 56 nos, a mais espectacular fuga em tempos de fascismo



No dia 3 de Janeiro de 1960, Álvaro Cunhal, Carlos Costa, Francisco Martins Rodrigues, Francisco Miguel, Guilherme da Costa Carvalho, Jaime Serra, Joaquim Gomes, José Carlos, Pedro Soares e Rogério de Carvalho fugiram da Fortaleza de Peniche, numa iniciativa absolutamente espectacular.

A mais completa e mais documentada descrição que já li da fuga foi feita por José Pacheco Pereira, em 31 páginas do terceiro volume da biografia de Álvaro Cunhal (*).

«Mesmo que, por qualquer motivo, a fuga tivesse sido abortada na sua segunda fase – o trajecto para os esconderijos na zona de Lisboa –, nem por isso deixaria de poder ser considerada um enorme sucesso político para o PCP e um momento alto contra o regime de Salazar. Poucas fugas de carácter político se lhe podem comparar, mesmo incluindo as mais célebres fugas ocorridas durante a II Guerra Mundial. Na história do movimento comunista, é um acontecimento ímpar.» (p. 724)

(*) Álvaro Cunhal. Uma Biografia Política. O Prisioneiro (1949-1960), volume 3, p.702-732.

.
.

0 comments: