Páginas

29.2.16

Eutanásia: de farisaicos está o país cheio



Ordem dos Médicos ou Santo Ofício?

A Ordem dos Médicos, em comunicado assinado pelo seu bastonário, insurge-se contra as declarações públicas da bastonária da Ordem do Enfermeiros, nas quais afirmava, sobre casos de eutanásia, “vivi situações pessoalmente, não preciso de ir buscar outros exemplos”, concluindo que “quem trabalha no Serviço Nacional de Saúde sabe que estas coisas acontecem por debaixo do pano, por isso vamos falar abertamente”.

A enfermeira Ana Rita Cavaco não disse nada que alguém não soubesse, constatou uma evidência e confirmou factos conhecidos, até por anteriores declarações de vários médicos, feitas em diversos contextos e circunstâncias.

Diz a Ordem dos Médicos que “deconhece qualquer caso de eutanásia explícita ou encapotada nos hospitais do SNS”, afirmação que só não surpreende porque a Ordem dos Médicos desconhece muita coisa que se passa nos hospitais.

O que surpreende é a iniciativa, anunciada no mesmo comunicado da Ordem dos Médicos, de participar ao Ministério Público das declarações da bastonária dos enfermeiros. As declarações são públicas, a queixa não faz qualquer sentido e nada acrescenta. Só serve mesmo para satisfazer os impulsos corporativos e exibir a costela inquisitorial do senhor bastonário.

João Semedo no Facebook
.

1 comments:

Victor Nogueira disse...

Sendo uma questão polémica, seria contudo interessante e útil que a Ordem dos Médicos mostrasse o mesmo zelo em denunciar a política "neo-liberal" que leva ao corte de salários e pensões de reforma e os baixos níveis dos mesmos rendimentos, bem como à degradação do Serviço Nacional de Saúde e do Sistema Publico de Segurança Social a favor do negócio da Medicina Privada, das IPSS e das Seguradoras. tudo conduzindo à degradação das condições de vida e de saúde, a morte em vida ou a vegetabilidade.