Páginas

25.11.16

Lobo amanteigado



«Alguns dos que antes diziam que Trump era um maluco, racista, misógino, etc., agora dizem: "Deixa lá ver o que é que ele vai ser. Se calhar, até é um tipo fixe." Tudo o que Trump disse até agora leva uma esponja por cima e vamos partir do zero. É o tipo de proposta que a Melania pode aceitar, porque tem uma boa mesada, mas para mim não chega. (…)

É um momento estranho, este que atravessamos. Há um partido de extrema-direita, que apoia Trump, e que se sente à vontade para reclamar a supremacia branca (e que questiona se os judeus serão realmente seres humanos) e alguns media têm medo do politicamente correcto e chamam-lhes "alt-right" e nacionalistas em vez de lhe chamarem nazis, não vão eles ficar ofendidos. Como o lobo já nem se dá ao trabalho de se disfarçar de ovelha, resolvem amanteigar o lobo.

"Alt-right" é só um nome moderno para o mais feio que há no mundo desde que o mundo existe com gente. Se o Hitler aparecesse agora, diria que não era nazi - "Sou Jew-delete." (…)

Dá para imaginar um diálogo entre um desconfiado e um trumpista "bem intencionado" enquanto assistem às imagens do comício dos trogloditas do "Alt-right":

- Mas eles estão a fazer a saudação nazi?!!
- Não, isto é o final, são alongamentos.
- Mas..., mas eles, agora, gritaram "Heil Trump!"
- O Lone Ranger também dizia "Heil Silver!"
- Acho que era "Hi-Yo", Silver...
- É a mesma coisa.
- Ele disse: devemos questionar se os judeus são mesmo pessoas?!
- A que horas é o jogo?
- Eia, olha para aquilo! Eles estão a desenhar uma suástica!
- Parece, mas não é. É um jogo do galo para disléxicos.
- Mas está ali um busto do Hitler!
- É do Chaplin a fazer de Adolfo. São saudosistas do cinema mudo.
- Se calhar, tens razão, não são nazis. Vamos à festa dos anos 80?
- Não dá. Já tenho marcada uma dos anos 30.»

João Quadros