Páginas

17.11.16

Olímpia, terra das Olimpíadas



Estive hoje em Olímpia e percorri, durante umas horas, o sítio arqueológico onde se vêem ruínas do que foi o santuário de Zeus com os seus vários templos, de instalações destinadas a atletas e não só e o estádio propriamente dito. Um bom Museu ajuda a perceber onde e como se encontrava o quê e mostra preciosas estátuas e objectos de várias épocas e estilos, que foram sendo encontrados em sucessivas escavações.

É para o local que a imagem mostra que é trazida actualmente a chama olímpica e é daí que parte para o país onde vão realizar-se os Jogos Olímpicos que se seguem. Só com muita imaginação, podemos reencontrar o espírito dos Jogos da Antiguidade na parafernália de que se revestem hoje e no espírito ferozmente competitivo que os caracteriza. Os atletas do século VIII a.c. considerariam certamente que Michael Phelps e Simone Biles eram seres extraterrestres, se pudessem vê-los numa espécie de «regresso ao futuro». Por isso também, tentamos nós «regressar» ao passado.

Ficam algumas imagens, das ruínas e do museu, que não conseguem dar nem uma pálida imagem da realidade.



(O Estádio era isto)



.