Páginas

15.5.17

Dica (546)



Um novo Centrão. (Manuel Carvalho da Silva) 

«O realinhamento social-democrata tem integrado uma espécie de movimento tectónico para a Direita. No vazio político resultante desse resvalar contínuo, o "centro extremo" tenta reinventar-se a partir de uma grelha política que, recusando a divisão Esquerda-Direita, anuncia agora uma nova divisão entre "abertura" e "fechamento". Neste exercício, o "centro extremo" coloca-se sempre do lado "positivo" da dicotomia, ou seja, os seus ideólogos e intérpretes são os "abertos". (…)
Macron surge como o exemplo último dessa interpretação, que se encontra um pouco por toda a Europa. Em Portugal é assumida por "sociais-democratas" com partido ou independentes, mas em particular na ala direita do Partido Socialista.» 
.

0 comments: