Páginas

17.12.15

Marcelo e Shirley Temple



«Muitos anos depois de ter sido uma das crianças-prodígio de Hollywood, Shirley Temple recordou um dos seus dias mais dramáticos: "Eu deixei de acreditar no Pai Natal quando tinha seis anos. A minha mãe levou-me a um centro comercial e ele pediu-me um autógrafo".

Shirley Temple era mais conhecida do que o Pai Natal, e os seus autógrafos eram ouro. Talvez esse seja o grande dilema de Marcelo Rebelo de Sousa: em Portugal é, segundo alguns, mais conhecido do que o Pai Natal e ninguém duvida que ele é o candidato com mais hipóteses de ocupar o posto de Presidente da República em Belém. Maria de Belém ou Sampaio da Nóvoa são menos conhecidos do que o Pai Natal ou Shirley Temple, mas isso também não lhes tira hipóteses. (...)

Vivem-se tempos bem diferentes de quando Shirley Temple cantava a inocente "On the Good Ship Lollipop": o Banif e o sector financeiro mostram dias tempestuosos e de insegurança. Aqueles que Maria Luís Albuquerque e Cavaco Silva diziam ser de sol e de "cofres cheios". A política está de volta. Mas as finanças não se foram embora.»

Fernando Sobral

0 comments: