Páginas

16.9.16

Operação Marquês de Sade



«Finalmente o super-juiz deu-se a conhecer ao mundo. Numa entrevista ao estilo concorrente da Casa dos Segredos (mal guardados), Carlos Alexandre, o juiz do caso mais famoso do país, não fugiu ao repertório habitual dos concorrentes da casa mais famosa do país, nos seus vídeos de apresentação, e que consiste em fazer de uma virtude o seu maior defeito. Um clássico é: "o meu principal defeito é ser demasiado honesto". Acho que a principal diferença entre os concorrentes da Casa dos Segredos e Carlos Alexandre - é só um palpite - é que os primeiros querem ficar na casa e o segundo está cheio de vontade de se pirar do caso.

A entrevista ao super juiz fez-me regressar ao meu velho livro de leitura da terceira classe, com duas procissões pelo meio. Fico à espera da entrevista de Carlos Alexandre adaptada para os nossos dias pelo Leonel Vieira.

Perceber que o super juiz é aquele senhor que leva as escutas para casa, e diz que tem muito poder, e que sabe muito mas não se assustem que ele não o usa para maldades, e logo a seguir usa esse poder para mandar bocas "que tem de trabalhar porque não tem dinheiro ou contas bancárias em nome de amigos", sobre um caso de que tem de ser parte neutra, é bastante assustador. É como descobrir que o Batman é taxista.

Eu não acredito nas amizades financeiramente generosas de Sócrates, mas também desconfio de um homem que diz não ter amigos e dá uma entrevista ao estilo Casa dos Segredos à SIC. Tem de ter pelo menos um amigo.

Pelo que fui ouvindo, acho que o simples, casto e espartano Carlos Alexandre, segundo a voz off - "filho simples de um carteiro e de uma tecelã"-, não resistia a um interrogatório do super-juiz Carlos Alexandre.

Super -juiz Carlos Alexandre: "Ora, o senhor Carlos diz que come pouco, é um salta refeições?"
Carlos: "Pois. Eu ganho mal e como espartanamente."
Super -juiz: "Que altura tem?"
Carlos: "1,69 m"
Super-juiz: "Tenho aqui uma entrevista sua onde diz que pesa 80 quilos."
Carlos: "Estou anafado..."
Super -juiz: "Portanto , quer-me explicar como é que come espartanamente mas tem 1,69m e pesa 80 quilos?! De onde é que vieram esses quilos?! São seus?! Não me diga que é porque o seu dia-a-dia é ouvir escutas e emprenha pelos ouvidos?!"
Carlos: "Juro que como como um pisco dos pequenos."
Super-juiz: "Passa fome?"
Carlos: "Às vezes. Fico com aqueles ruídos do estômago..."
Super-juiz: "Uma espécie de som de marulhar..."
Carlos: "Isso!"
Super-juiz: "Diz o senhor Carlos aqui numa entrevista que se sente escutado."
Carlos: "Sim. Quando falo ao telefone ouve-se um marulhar..."
Super-juiz: "Se calhar o senhor Carlos devia comer qualquer coisa antes de falar ao telefone, em vez de fazer acusações..."»

0 comments: