6.7.09

Um «quase escritor» lança um «quase romance»

















... e quer ir para o Brasil. Passaria mais despercebido em Tuol Sleng ou mesmo em Guayaquil .

4 comments:

Maria Velho disse...

quem dera, Joana, quem dera que ele fosse. Menos um quase qq coisa neste país pleno de quase tudo(s).

Joana Lopes disse...

A mim, tanto me faz que ela esteja cá ou a milhas, Helena. Mas se é para lhe pedir que fique...

Maria Velho disse...

não, não peça. a mim incomoda-me quando o ouço ou ouço falar dele como o supra-sumo de coisa nenhuma. coisas que se explicam com algum empenho na escrita que não me apetece fazer. e não me roubaram nem o pc, nem as palavras. às vezes tenho mau feitio.

septuagenário disse...

Ir para o Brasil é a melhor maneira de um português apreciar melhor a terra que tem.

É pena que este vá (se for?), na era do telemóvel e do avião a jacto.

Será que já aderiu à nova ortografia?

Penso que já não vai em idade de entrar no samba. (que pena)!