14.9.10

Este continente não é para nómadas


É raro falar-se dos Irish Travellers, uma população nómada de origem histórica e dimensão incertas, espalhada sobretudo pela Irlanda, mas presente um pouco por toda a parte na Grã-Bretanha e até nos Estados Unidos, que recusa ser considerada um grupo étnico distinto e, muito menos, identificada como cigana.

Os Irish Travellers não podem ser expulsos para paragens longínquas porque não lhes tiram a nacionalidade, mas ninguém os quer por muito perto: compram terrenos, pedem licenças de construção que são recusadas, continuam a viver em roulottes e propõem-lhes alojamento espalhados por vários prédios, o que eles recusam porque a solução não se adapta ao seu modo de vida em comunidade.

As crianças vão às escolas do bairro e as pessoas têm acesso aos centros de saúde, mas os seus acampamentos estão sempre sob a ameaça de serem arrasados com bulldozers, como agora em Hovefields, no Sudeste de Inglaterra. Trata-se apenas de sete famílias, mas sabe-se que Hovefields é uma espécie de ensaio geral para a maior expulsão da história do Reino Unido, a ser concretizada durante as próximas três semanas: mil Irish Travellers de Dale Farm, uma localidade relativamente próxima.

A Europa liofilizada que não suporta aqueles que não utilizam os seus locais de habitação «selon lens bons principes de la bourgeoisie», como estabelecia o manual de condóminos do prédio em que morei três anos, em Bruxelas, em finais da década de 80…

O vídeo: «Não nos tratem como cães!»



(Fonte)
...
...

1 comments:

Martini Bianco disse...

Há uns anos atrás li uma reportagem sobre esse "povo" e achei-a muito interessante. Hei-de falar sobre isso também.

Parabéns pelos temas sempre interessantes que trazes à antena.