21.11.13

Quem viveu não esquece



A quatro dias do 25 de Novembro, o juramento de bandeira dos cento e setenta novos recrutas do RALIS, em 21 de Novembro de 1975, ficou como símbolo de fim de ciclo, foi uma espécie de canto do cisne de um PREC que se aproximava do seu fim.



O chefe do Estado-Maior do Exército, Carlos Fabião, disse em discurso de improviso que a Revolução Portuguesa precisa de muitos braços que garantam a segurança do processo, as conquistas alcançadas e, sobretudo, a impossibilidade de a História andar para trás». Será?
.