29.12.10

Para que a memória perdure


Foi aqui muito perto, paredes meias com o Alentejo e o Algarve, que a Andaluzia andou a contar as fossas das vítimas do franquismo e anunciou ontem a localização de 614 (40% das quais desconhecidas até agora), em 359 povoações. Nelas estarão enterradas 47.399 pessoas.

O «Mapa de fosas de las víctimas de la Guerra Civil y la posguerra en Andalucía» resulta do trabalho conjunto de associações memorialistas e de universidades, através do Comissariado para a Memória Histórica da Andaluzia, e nele se detalham, para cada uma das fossas localizadas, o seu contexto histórico, assassinatos, violações, escravatura e muitas outras formas de repressão.

Em resumo, «El objetivo del trabajo es claro, evitar que el miedo, la represión o la autocensura dejen ocultos episodios clave para conocer un conflicto que, según el estudio que acompaña el mapa, "se convirtió en un deliberado y metódico exterminio del enemigo político (...) que se sirvió de la guerra como contexto y pretexto (...) y dejó un legado de miles de víctimas". En Andalucía, los represaliados por el franquismo suman 130.199.»

De uma Guerra que acabou há 71 anos.

(Fonte)
..
..