Páginas

14.8.16

Fidel Castro tristemente imutável



São no mínimo lamentáveis os termos em que Fidel Castro se referiu à Rússia e à China (e só a estes países), com o pretexto de criticar o discurso que Obama fez recentemente no Japão.


Rússia e China (ainda) faróis do mundo? Não havia necessidade… 
.

2 comments:

Victor Nogueira disse...

Pois ... A transcrição diz «Grandes potencias como China y Rusia no pueden ser sometidas a las amenazas de imponerles el empleo de las armas nucleares. Son pueblos de gran valor e inteligencia.» Fala em povos e em grandes potências, fala na ameaça nuclear, não em regimes políticos. Embora a Estátua da Liberdade, a tal que se teria inspirado na burguesa Revolução Francesa e nos seus ideais de "Liberdade, Igualdade e Fraternidade", homenageie de facto uma sociedade ao tempo racista e do "salve-se quem puder", a única que até ao momento cometeu crimes contra a Humanidade pelo criminoso lançamento das bombas atómicas sobre Hiroshima e Nagasaki. E que tentou repetir o feito durante a Guerra da Coreia. Entre o farol dos States e o da "União" Europeia, que venha o diabo e que escolha ?

António Alves Barros Lopes disse...

Pelos vistos a falha de Fidel foi meter a China e a Rússia no mesmo saco...
Pelos vistos nem russos nem chineses são povo e muito menos inteligentes...
Pelos vistos os chineses serão no mínimo mais espertos...
Conseguiram realizar os Jogos olímpicos em Pequim sem que os gringos os boicotassem!
Isto apesar do Tibete e de Tianamen!
Nem sequer um embargosito daqueles pra cubano aguentar!
( Sempre é diferente entre vender MCDonalds a dez milhôes ou a dois mil milhões!)
Librem-me da hipocrisia do mundo que do comunismo os livro eu!
lopesdareosa