29.4.14

Gansos sem penas



«Jean Baptiste Colbert, o ministro das Finanças de Luís XIV de França, era um homem de acções firme e de língua afiada. Por um lado colocou na praça pública os gastos excêntricos do Rei Sol, mas por outro tinha a noção das necessidades de financiamento das despesas do Estado.

Por isso ficou célebre a forma como via os contribuintes: “A arte da tributação consiste em depenar o ganso de modo a obter a maior quantidade de penas com o menor volume possível de grasnido”. A grande “reforma” do Estado e o combate à dívida e ao défice fizeram-se, em Portugal, à custa de depenar os gansos contribuintes, procurando que estes se cansassem de protestar. (...)

Os gansos ou pagam ou emigram. Dependendo da sua capacidade de voo. Mas, sem penas, ainda vão ter muito frio no futuro.»

Fernando Sobral, no Negócios.
.