17.6.10

As Isildas não desistem


Não há dia em que não se leia uma ou outra notícia sobre pressões para que Bagão Félix concorra às presidenciais. Hoje fala-se de 100 mulheres católicas que «ficaram sem candidato» desde que Cavaco Silva promulgou a lei que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo. (Por que razão a identidade de género é para aqui chamada é para mim um mistério, mas adiante porque, em iniciativas que incluam a drª Isilda Pegado, há sempre algo que me transcende.)


Gravíssima a promulgação do diploma sem devolução à Assembleia da República e única razão para todo este burburinho? Nada mais em causa para além das presidenciais de 2011? Acredite quem quiser. Aparentemente, está à vista apenas a ponta de um iceberg onde se consolida uma movimentação crescente dos conservadores católicos que estão a organizar-se a diferentes níveis, entre outras razões porque até os partidos da direita são considerados demasiado liberais em matéria de costumes e de família.

«Sabe-se», «diz-se», «dizem-me» que o próprio Policarpo terá feito agora afirmações menos cordatas e um tanto mais hostis do que é habitual, por um lado como resultado de grandes pressões, por outro para travar eventuais posições públicas mais agressivas e menos razoáveis. Com fundamento ou resultado de puras conjecturas, o que parece certo é que o bater de asas das borboletas espanholas está a fazer-se sentir - devagar, devagarinho porque desde lado tudo é mais manso, mas…

...

8 comments:

Manuel Vilarinho Pires disse...

Boa noite, Joana
Como deves imaginar, a direita gosta tanto como a esquerda de elaborar hipóteses mirabolantes, de construir cenários, de ler nas entrelinhas, enfim, de tentar fazer prognósticos antes do fim do jogo.
Uma das teorias da conspiração diz o seguinte: a Igreja concentrou as reacções negativas à legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo no PR, que se limitou a promulgar a lei, em vez de ser no Governo, que a fez, como moeda de troca pelo apoio à construção daquele aborto da arquitectura maçónica que dá pelo nome de igreja do Restelo...
Vendo a teoria pelo mesmo preço que a comprei...

Joana Lopes disse...

Essa não tinha ouvido...

Manuel Vilarinho Pires disse...

... a ser verdade, a preocupação da esquerda com a timidez do apoio do PS à candidatura do Manuel Alegre é, não apenas injustificada, como injusta.

Joana Lopes disse...

Não sei se já percebeste que a directora da campanha de MA, Maria de Belém, é católica...

Manuel Vilarinho Pires disse...

...e tem ar maçon... mas não lhe vejo pinta para fazer um negócio sujo como este (seria se fosse verdade).
Mas há católicos no "inner circle" do Sócrates e aí já a cantiga pode ser outra...

Bruno de Góis disse...

(Grandes teorias! Manuel... às vezes o surrealismo do mundo torna Dalí aborrecido)

Cara Joana,

Eu gostaria de ver a própria Isilda como candidata a ser apoiada pelos manifestantes da marcha contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo: seria um quadro bonito.

Infelizmente, embora a Direita se sinta à vontade para lançar estes boatos, mantém o pragmatismo de apoiar apenas Cavaco.

Joana Lopes disse...

Não sei, Bruno,se a direita não medirá vantagens em ter mais de um candidato à 1ª vota. Acabei de ler, no Blasfémias, este post.

Manuel Vilarinho Pires disse...

Caro Bruno,
Não sei se no seu comentário posso ler uma insinuação de que eu acredito na teoria de cuja existência achei por bem informar a Joana...
Se (e repito, se) ficou com essa impressão, sugiro-lhe uma re-leitura do que escrevi aqui (não ouso sugerir-lhe a leitura das dezenas de comentários que tenho feito a chamar a atenção para a excessiva energia que se gasta a construir teorias) e talvez fique mais esclarecido.
Mas deixe-me dizer-lhe que a forma como a põe de lado, cobrindo-a de ridículo, também não me parece muito mais fundamentada do que a própria teoria... tanto a teoria, como o seu comentário, parecem-me mais fundamentados na vontade de acreditar, do que em factos... na Fé, portanto!