Páginas

20.5.17

Dica (549)




«Progressivamente, as eleições passaram a ser, na maioria dos países europeus, não combates programáticos mas sim uma competição para decidir quem está em condições de melhor servir os mercados, transformados, por sua vez, numa entidade indiscutível e insusceptível de ser combatida, um verdadeiro manipanso a que se prestam todas as honras e reverências.
A social-democracia, feita mariposa desnorteada pela luz ofuscante do pensamento único, deixou-se enredar em mistificações a-ideológicas, como a «verdade axiomática» segundo a qual as eleições se ganham ao centro e outras patacoadas do mesmo género, de que nem mesmo as experiências reiteradas conseguem demonstrar a falsidade.» 
.

1 comments:

Titus Adrianus disse...

Conheci bem o António Russo Dias, meu colega no MNE. Um excelente artigo, este que ele publicou e com o qual concordo. Um tipo de Esquerda, bem articulado, que aprecio.