15.1.09

Para Policarpo, todos têm lugar na Igreja, mas há uns que têm menos lugar do que os outros














A questão dos perigos do casamento com muçulmanos fez passar para segundo plano a parte final da conversa entre Fátima Campos Ferreira e o cardeal Policarpo no Casino da Figueira.

Creio que vale a pena LER o que foi dito:

FCF – Isso significa que os homossexuais católicos têm lugar na Igreja ou não?

JP – Têm. Toda a gente tem lugar na Igreja. O que eu lhes peço, o que a Igreja lhes pede é que vivam evangelicamente a sua sexualidade.

FCF – Como é?

JP – Não é com certeza sendo homossexuais, é uma coisa que está...

FCF – Então não têm [lugar].

JP – Não têm? Têm. Há pessoas que têm essa tendência e que são pessoas exemplares na sua vida cristã.

Esta posição não é diferente daquela que o Vaticano sempre tem defendido. Em resumo, para os homossexuais católicos ficaria a opção de reprimirem a sua «tendência» não a exercendo – castos e abstinentes, portanto. Tal como os padres, destinados ao «celibato».

Até quando?

(O vídeo da RTP pode ser visto aqui.)

10 comments:

F. Penim Redondo disse...

Parece-me que a questão está mal posta: os heterossexuais também são reprimidos (não podem fazer sexo antes do casamento, não podem usar preservativo, não podem ser promíscuos, etc).

Portanto o problema aqui não é a discriminação dos homossexuais.
Todos têm lugar na igreja, homos e heteros, desde que estejam dispostos a acatar uma série de limitações.

Joana Lopes disse...

Desculpa, mas os homossexuais têm, PELO MENOS, uma discriminação adicional - e, em princípio, para toda a vida. Mesmo que sejam virgens até ao casamento (esta é boa...), que não sejam promíscuos e que usem preservativos mas não para impedir a procriação!

F. Penim Redondo disse...

Eu não tenho a certeza mas suspeito que um casal hetero que pratique as "modalidades" sexuais típicas dos homos também estará a pecar. Tu deves conhecer as regras melhor do que eu.

De qualquer forma parece-me que a questão não será: os heteros católicos têm 327 chatices e os homos têm 328.

Miguel Cardina disse...

Joana,

Faltou referir a última frase dita pelo cardeal patriorca: «Ó Fátima, nós sabemos mais do que aquilo que vocês pensam!». Afinal. afinal...

Joana Lopes disse...

Eu sei, Miguel, mas não quis introduzir mais ruído...
Sei lá em que é que ele estava a pensar!

Anónimo disse...

Mas qual é o seu problema? Só pertence à ICAR quem quer.

Anónimo disse...

«Há pessoas que têm essa tendência e que são pessoas exemplares na sua vida cristã.»

Homosexuais com uma vida de abstinência, exemplares na sua vida cristã, todos sabemos como se chamam e o cardeal também: padres.

Joana Lopes disse...

Ao penúltimo Anónimo: mas há homossexuais que querem...

A Presença das Formigas disse...

Eu nestas coisas calo-me, e dou a palavra a quem sabe. Casamento de católica com muçulmano, homossexualidade, o J.M.Pinto é que sabe.
Sobre uma católica casar com um muçulmano: uma análise à luz do Ratzinguismo.

MC disse...

Joana, trocando por miúdos o cardeal pretende atribuir à Igreja um papel de pseudo condescendência. "Pseudo" porque só Deus pode ser condescendente.

E é a velhinha questão da moral sexual que tanto ocupa o pensamento do clero católico.

Quanto ao que sabe, também fiquei na dúvida quando ouvi. Ou está a referir-se a confidências na confissão ou fala em causa própria: clero.