13.12.11

Uma nota azul


O Jornal de Negócios deixa a pergunta: «Ainda se lembra das notas que existiam antes da entrada do euro?» e exibe uma bela colecção que nos faz recuar mais do que uma década. Há muito tempo que não se falava tantos de escudos et pour cause

Para mim, com esta D. Maria, veio também a recordação das dores de cabeça que me causou nos idos de 80, mais precisamente em 1984 (sem que George Orwell tenha nada a ver com o assunto…), quando a IBM trabalhava com a SIBS na preparação do lançamento do sistema Multibanco, que viria a arrancar em Setembro de 1985. Nem tento descrever a complexidade do que estava em causa, quando muito do que hoje é absolutamente trivial era, nessa altura, pioneirismo puro e duro - que resultou, e de que maneira, fazendo de Portugal um indiscutível caso de sucesso, louvado e visitado.

Regresso à D. Maria. Na fase de testes finais de um grupo de máquinas ATM, realizados já nem me lembro em que país, esta e só esta nota «não passava», sem que se conseguisse identificar o motivo e foram necessários muitos dias, julgo que semanas, para que o problema fosse resolvido. E eu fiquei sempre a olhar  de esguelha para a dita nota. Até hoje quando a revi!

Agora, os «anõezinhos» (nome simpático pelo qual ficaram conhecidas as misteriosas máquinas, tão inteligentes que pareciam ter dentro um homem pequenino…) já devem ser capazes de reconhecer tudo o que imaginar se possa, desde reais a rupias e, sobretudo, yauns. E, para já, ainda nos entregam euros.
.