5.6.12

Pardon my French



(Via meio mundo no Facebook)
.

7 comments:

rosaamarela disse...

total desespero!!!

ou uma "oportunidade" ???

meirelesportuense disse...

Joana, porque não escreves em Português?...

Joana Lopes disse...

É obrigatório? :)

meirelesportuense disse...

Não é obrigatório, mas este Blogue suponho que é Português e para portugueses e é mais fácil perceber o que queres dizer, se escreveres na língua de Camões...A não ser que apenas queiras escrever para um nicho muito específico...Isto faz-me recordar o vício que existe, de há muito, na música Portuguesa.
Até o David Fonseca que eu aprecio e mora em Leiria, canta em Inglês!

Joana Lopes disse...

Vamos lá ver se nos entendemos:
1º Detesto fundamentalismos: se é para portugueses, só de deve escrever em português… Por esse princípio, só podia pôr vídeos de música cantada em português, teria de traduzir todas as citações, etc., etc. Acontece que a blogosfera é um espaço livre, onde não se é pago para escrever e… portanto… cada blogger decide como entende.
2º «Pardon my French» tem três palavras que qualquer não alfabeto português reconhece. Mas é uma expressão idiomática que não faz sentido traduzir á letra. Se fizer uma pesquisa no Google, encontrará o seu significado. Se não a conhece, já terá ganho alguma coisa com a minha escolha para título do «post»…

meirelesportuense disse...

Não é uma questão de fundamentalismo, mas se não existir a preocupação de se falar preferencialmente em Português perde-se a ligação com muitos dos que eventualmente poderão participar...E eu por exemplo gosto de participar, mas não é nada interessante estar a saltar constantemente do blogue para o Dicionário e vice-versa...O nome do blogue é elucidativo da sua raiz Nacional, ou não é?...Porque este é um vício que eu noto constantemente em muitos bloguistas, de repente decidem falar em Inglês, não sei porquê...Recordo-me dos diálogos entre grupos que pretendem só ser entendidos por uma camada que acedem a esses códigos...Os filmes estrangeiros exibidos em Portugal são devidamente traduzidos para a língua nacional, apenas porque são um atestado de menoridade dos portugueses?...Essa do "não faz sentido traduzir à letra"(?), então uma boa parte dos livros especialmente os mais eruditos, não deveriam ser traduzidos para outras línguas, porque perdem toda a profundidade da intenção criativa inicial...Bom mas cada faz o que bem entende, se a Joana quer ser apenas lida e interpelada por um número restrito de interlocutores faz todo o sentido...
Faz-me recordar o Lauro António...

meirelesportuense disse...

Mas eu estou como o autor do pano!...Não estou desempregado mas estou e sinto-me esfolado!...