3.7.08

Basta!














ADENDA (*)

Que o PCP diga, oficialmente, isto e só isto, a propósito da libertação de Ingrid Betancourt e dos outros prisioneiros, é inadmissível e roça o intolerável.

O mais chocante: nem uma palavra de regozijo.

O mais esclarecedor: «O Povo colombiano poderá continuar a contar com a solidariedade dos comunistas portugueses na sua luta contra a opressão e exploração, pela justiça social, pela democracia e soberania nacional.»

(*) Ler também isto!!!

16 comments:

F. Penim Redondo disse...

Tens razão na tua crítica ao PCP, sem dúvida.

Há, por outro lado, algumas núvens sobre este feliz acontecimento.

Eu, por exemplo, fiquei perplexo quando vi a Ingrid aparentemente de boa saúde depois de me terem convencido de que ela estava às portas da morte na selva Colombiana.

Muitos cidadãos mais sensíveis ter-se-ão sentido ludibriados, o que pode vir a prejudicar os sequestrados que ainda não foram libertados.

A mim o que mais me choca é alguém ter pensado que estar sequestrado na selva durante seis anos não é suficientemente grave para comover o público.

Também não me causou boa impressão ver o aproveitamento feito pelo Sarkozy e o óbvio exagero à volta de Ingrid que, por razões que me escapam, goza certamente de "protecções" que não são dispensadas a muitos outros sequestrados.

Anónimo disse...

Caro Penin Redondo

Reparei também no ar saudável da senhora e parece-me que há coisas estranhas para contar, o tempo o dirá

Joana Lopes disse...

Para os dois comentários:

Não pretendi defender / apoiar todo o processo de libertação, sobre o qual, concordo, ainda há muito por contar.

Escandalizo-me / revolto-me com a posição do PCP(+Resistir) tal como foi oficialmente publicitada. Ponto.

leonor simões disse...

Já agora porque dar tanta importância e significado ao que alguém escreveu no «resistir» e não reparar que na barra lateral do blogue do Vítor Dias está lá isto há um dia:

«A libertação de Ingrid Bettancourt

( imagem de Ingrid à chegada)

Sem mudar um milimetro à minha devastadora opinião sobre o regime de Álvaro Uribe, que documentação norte-americana (link) comprova as suas ligações ao narcotráfico e à cruel acção dos paramilitares de extrema-direita (ver lista de documentos americanos aqui), saúdo e registo como positiva a libertação de Ingrid Bettancourt que, salvo melhor opinião, há muito devia ter sido uma inteligente decisão das FARC. Entretanto, não adianta ignorar que subsiste o dramático problema - a meu ver, insolúvel por via militar - das dezenas de outros reféns da FARC e das centenas de guerrilheiros das FARC que estão presos nas cadeias de Uribe. Como escrevi em qualquer lado, estando felizmente viva, havia sempre a esperança para Ingrid da sua libertação. Para os milhares de sindicalistas e homens e mulheres de esquerda assassinados na Colômbia nas últimas décadas é que não havia esperança nenhuma com os sete palmos de terra por cima dos seus cadáveres.[ver aqui - ao fundo da barra lateral direita de «os papéis de alexandria» - mais informações sobre a história recente da Colômbia].

(imagem respectiva)

Funeral de um dos sindicalistas assassinados na Colômbia

Joana Lopes disse...

Cara Leonor,

Sou leitora de «O tempo das cerejas» de V. Dias, pessoa que prezo, embora discorde muitas vezes das opiniões que exprime.
Confesso que não olho todos dias para a barra lateral do blogue e não tinha visto o que transcreveu aqui.

Mesmo que tivesse visto, este meu «post» seria igual. V. Dias, no seu blogue, representa-se a si próprio individualmente (interpretando-o assim, estou a fazer-lhe um elogio).

Não é o caso dos «sites» que citei (PC e Resistir). E isso faz toda a diferença.

Jorge Nascimento Fernandes disse...

Já agora Joana se quiser saber a minha opinião, ela está transcrita no meu blog
http://trix-nitrix.blogspot.com/2008/07/o-caso-de-ingrid-betancourt.html
Jorge Nascimento Fernandes

Joana Lopes disse...

Já tinha lido, Jorge.

Aceito todas as «nuances», mas não me diminuem a indignação -reforçada ainda pelo que, aparentemente, se terá passado na AR (mas que ainda não segui em pormenor).

Anónimo disse...

Joana o que é que estavas à espera??? ja não ha surpresas que venham desse lado....

mas ainda vamos descobrir muita coisa acerca desta "libertaçao", meme si on est tres heureux les questions sont la.
Um abraço
Rosa

Anónimo disse...

Embora esta observação não diga directamente respeito ao seu blogue, mesmo continuando porventura a haver margem para comentários ou apreciações subsequentes, não me parece sério falar, hoje ou ontem, da «posição do PCP» e ignorar o voto de congratulação pela libertação de Ingrid Betancourt que ontem foi apresentado pelo Grupo Parlamentar do PCP que, como é do domínio público, não é uma entidade qualquer na representação política do PCP e que, como também é sabido, integra o seu secretário-geral Jerónimo de Sousa e vários outros membros da Comissão Política e do Secretariado do PCP.

Diz esse voto de congratulação :

««Ingrid Betancourt em liberdade

Após seis anos de cativeiro na selva, é motivo de justa satisfação o regresso à liberdade de Ingrid Betancourt, ex-candidata presidencial colombiana.
O resgate de Ingrid Betancourt coloca em evidência a gravidade da situação em que se encontram centenas de prisioneiros na posse da guerrilha e nas prisões do regime de Álvaro Uribe e a necessidade de encontrar uma solução humanitária.
Assinale-se que, sistematicamente, o Governo da Colômbia tem vindo a sabotar negociações, mediadas por responsáveis de diversos países, no sentido da troca de prisioneiros entre as partes do conflito.
Os complexos problemas em presença na Colômbia, exigem uma solução política e negociada de um conflito que se arrasta há mais de 40 anos, indissociável de um regime que promove o agravamento da exploração, da repressão e das perseguições, incluindo milhares de assassinatos e brutais torturas, fortemente condicionado pela ingerência política e militar da administração norte-americana.
A necessidade de uma solução negociada para o conflito na Colômbia, torna-se ainda mais urgente num quadro em que os EUA o procuram radicalizar e instrumentalizar, como justificação para o reforço da presença de forças militares e como forma de desestabilização da região e dos países que a integram, com risco de escalada militar e ameaça à paz.
Nestes termos, a Assembleia da República:

1- Congratula-se pelo regresso à liberdade de Ingrid Betancourt.

2- Exprime o seu desejo de que a liberdade de Ingrid Betancourt possa contribuir para um caminho de paz para a Colômbia.
3- Apela às partes envolvidas para que encetem negociações no sentido da libertação de todos os prisioneiros.

4- Valoriza todos os esforços orientados para alcançar uma solução política negociada.

5- Apela às partes para que se empenhem na busca de uma solução política negociada do conflito, que dura há mais de quatro décadas.

6- Manifesta-se pelo respeito da soberania do povo colombiano na definição dos destinos do seu país.

Assembleia da República, 4 de Julho de 2008

[ver ainda aqui - em http://papeisdealexandria.blogspot.com/2008/07/bernardino-soares-sobre-libertao-de.html - a intervenção de Bernardino Soares no debate]

Joana Lopes disse...

Vítor Dias,

O meu «post» é anterior ao debate de ontem na AR. Registo que, aí, o PC passou a «congratular-se» com a libertação de IB.

Mas, pelo que li e ouvi, não quis no entanto votar positivamente a moção aprovada pelos restantes partdos por esta incluir uma condenação das FARC's. Lamento-o.

Anónimo disse...

Carissima Joana:

Julgava eu que o problema maior com o PCP era a falta de regozijo coma libertação de Ingrid. Agora passa-se para que não acompanhou outros partidos na condenação das FARC.

E eu poderia responder que os outros partidos não acompanharam o PCP na condenação do regime de Uribe cimentado em milhares de mortos, designadamente sindicalistas, candidatos de esquerda etc.etc ( matéria que vejo pouco tratada na blogoesfera).

Por respeito consigo, há outra coisa que lhe quero dizer: faz-me pena que tenha apreciado o artigo de Ferreira Fernandes em que, não sei se reparou na perfidia de se atribuir aos deputados do PCP uma formulação ( que obiamente eu não acompanho) usada no sitio resistir.info.

Cara Joana: acha que, como seria curial, amanhã, o Ferreira Fernandes vai atribuir aos membros do resistir.info as formulações do voto de CONGRATULAÇÃO do GP do PCP ? Ou afinal as etiquetagens ou contaminações são só de sentido único ?

Joana Lopes disse...

Vítor Dias,

Não vou responder ao seu último comentário.

Volto aqui apenas para dizer o seguinte. Percorri entretanto vários blogues que se referiram a este assunto e verifiquei que, em todas as caixas de comentários que visitei, há o texto que aqui colocou no seu 1º comentário, resultado de «copy/paste» militante, num proselitismo que já não julgava possível. Lamento ver o seu nome associado a este tipo de iniciativa, Vítor Dias.

E, quanto a este assunto, ponto final.

Anónimo disse...

Cara Joana Lopes:

É claro que não lhe contesto o direito (politico e de propriedade) de pôr os pontos finais que muito bem decidir.

Quando diz que não responde a meu último comentário, fica possivel e injustamente no ar a suspeita de que, de vez em quando, também dá jeito não nos confrontarmos com certos argumentos concretos.

Finalmente, não percebo por que é que é «proselitismo» eu colocar o mesmo texto em vários blogues de cara descoberta e com nome verdadeiro e já não é proselitismo vozes distintas dizerem o mesmo mas em sentido contrário.E também não percebo porque é um texto como o meu, que contém informação concreta pouco conhecida, merece ser classificado de «proselitismo».

Teria imensa pena se, de um ponto de vista estritamente objectivo, a Joana Lopes agisse como se houvesse - os comunistas - de quem se pode dizer tudo e há outros que devem ser poupados ao contraditório e ao debate do que dizem ou escrevem.

Em boa verdade, não acredito que isso seja possível consigo.

Lembro que, polémicas à parte, nada afecta a minha consideração e estima por si.

Paulo disse...

Meu caro, é de muito má fé escrever um post sobre a posição (para mim, louvável do PCP) e colocar a posição do resistir.info passando a mensagem implícita - quase explícita - de que se trata da posição do PCP. (sítio que terá sem dúvida direito à sua opinião, é certo).

Deve editar o post e colocar a ressalva respectiva, a não ser que o esteja a fazer deliberadamente...

Ana disse...

Concordo, o post tenta realmente passar a mensagem de que a posição do resitir é a mesma do PCP. Uma tosca tentativa, Joana.

Além disso, o voto do PCP é um voto de congratulação, logo, de regozijo, pelo que o comentário que fez fica sem grande sentido, na realidade.

JP disse...

Eu não sou comunista, mas também não quero viver na hipocrisia reinante. Para quê tanta tinta em torno de uma só pessoa? Lamento o seu cativeiro, é certo, mas felizmente está bem de saúde. Afinal os "turras" não foram assim tão maus para a Sra. Ela está viva, enquanto muitos estão mortos. São torturados. São violentados. São chacinados... Condeno os métodos das FARC, mas condeno muitíssimo mais os Uribes deste planeta, que vivem à custa do dinheiro da droga, matando jovens pelo mundo fora! Incluindo muitos portugueses. Tudo isto com a conivência dos países ditos desenvolvidos... e com a vossa... que nada fazem... que nada dizem. Cobardia? Mas disso não interessa falar... E os milhões que morrem à fome? E os milhares que morrem no Darfur? Ainda hoje mesmo o pessoal da ONU teve que sair do terreno! Porque não gastam as energias a falar do que realmente importa?