1.12.09

Restaurados continuamos
















Nem sei se os portugueses deixaram de ir a Espanha no 5 de Outubro e no 1º de Dezembro – feriados que nuestros hermanos sempre teimaram em não festejar -, mas julgo que não e que se ouvirá muito portinhol por estas dias na Sierra Nevada.

Há umas décadas era uma espécie de peregrinação. A meio da semana só dava para atravessar a fronteira do Caia (com passaporte, claro, e autorização do marido e/ou do Ministério de que se dependia) e ir até Badajoz, então pouco mais que uma vila à qual Elvas podia quase pedir meças. Regressava-se com quilos de caramelos (Solano, sim), cintos, porta-moedas e brinquedos para o Natal.

Quando, como este ano, dava para fim-de-semana alargado, quem podia «esticava» até Madrid, com paragem obrigatória em Talavera de la Reina, seguida de um festival de portugueses nas escadas dos Preciados. Era o consumismo possível - só para alguns, muito poucos, é certo.

Mas se nos dissessem então que, em 2009, um rei de Espanha viria festejar o 1º de Dezembro em Portugal, numa espécie de palácio de barbies ou casino rasca de Las Vegas (porque o Estoril-Sol era feio?...), esfregaríamos os olhos para tentar acreditar. Enfim, espero que pelo menos tenha trazido caramelos – mas El Triunfo, que são bem melhores.