4.11.12

Em 14 de Novembro de 1152 AC – a primeira greve



Reinava no Egipto Ramsés III e os trabalhadores que estavam a construir o seu túmulo protestaram por terem salários em atraso. Salários que consistiam de cereais e que, havia um mês ou dois, não eram distribuídos a pedreiros, cinzeladores, pintores, carpinteiros, marceneiros, mumificadores, guardas e artesãos de todos os tipos.

Ao fim de três dias de greve, os trabalhadores acabaram por invadir o templo funerário do faraó Ramsés II e declararam: «Viemos até aqui porque temos fome, porque não temos roupa, nem peixe, nem óleo, nem verduras. Contai isto ao faraó, nosso Bom Senhor, e ao Vizir, nosso Chefe. Fazei com que possamos viver.»

Durante os dois meses que se seguiram os pagamentos foram irregulares, o que deu origem a novos protestos. Só mais tarde se regularizaram. 

(Fonte)

Quando fizermos a próxima greve, em 14 de Novembro deste ano, estaremos a festejar um aniversário inesperado.