28.2.19

Pacheco Pereira: leitura mais do que recomendada




Uma boa entrevista de Nuno Ramos de Almeida, a não perder.

Qual a razão por que Portugal parece imune a esta subida da extrema-direita?
Isso é uma coisa que se está sempre a repetir mas que eu não tenho a certeza que seja verdade. Na atual recomposição da direita há o aparecimento de fenómenos que têm expressão não tanto em termos institucionais, como o “Chega” e quejandos, mas a outros níveis.

Está a falar por exemplo de sites como o Observador e a sua opinião?
Sim, porque nessas coisas cria-se primeiro a cama e depois é que se deita nela. E de alguma forma a cama já está a ser criada nas redes sociais, em certos ’think tanks’, e certos ativistas políticos fazem-na todos os dias. E os órgãos de comunicação social têm um papel decisivo nesta loucura justicialista e populista que domina quase todo o ’primetime’ das televisões.
.