20.5.14

Roma e Pavia não se fizeram num dia



Um texto meu, escrito a pedido do jornal «i» e publicado hoje:

Todas as previsões apontam para um dia 25 cheio de Sol e há um prognóstico que pode ser feito antes do fim deste jogo: a abstenção dos portugueses será certamente muito elevada nas próximas eleições europeias, vai ser de novo menosprezado um dever elementar de cidadania.

Seria no entanto bem importante que acontecesse exactamente o contrário e que vivêssemos um dia de luta activa por uma Europa diferente daquela que infelizmente hoje temos, com uma votação, em massa, contra os três partidos nacionais comprometidos com a via austeritária corporizada no Tratado Orçamental, em Portugal e nos grupos a que pertencem no Parlamento Europeu. Sem visões calculistas com as legislativas no horizonte e projectos de consensos à esquerda, ilusórios e ineficazes, nem com antieuropeísmos de pacotilha, mas sim com o objectivo muito claro de «desobedecer à Europa da austeridade», em conjunto com todos aqueles que, por esse continente fora, partilham esse mesmo objectivo.

Pare-se com o discurso de falta de alternativas deste tipo, porque elas existem e virão a ser concretizadas. Depois destes dias, melhores dias virão, Roma e Pavia não se fizeram num dia.

Joana Lopes
.