11.1.21

Polígrafo dixit

 


«Quando se falou sobre o Orçamento do Estado de 2021, João Ferreira criticou o BE. “Reconheço insuficiências na resposta do Orçamento, já o disse várias vezes. Agora eu valorizo muito aqueles que não desistem a meio de nenhum combate. E valorizo que tenha sido possível, por intervenção nomeadamente do PCP, incluir no Orçamento do Estado investimento no Serviço Nacional de Saúde em contratação de mais profissionais, em contratação de mais meios e equipamentos, na construção de infraestruturas, algumas delas aguardadas há muito tempo”, disse. 

Na resposta, Marisa Matias contrapôs com os números dos médicos: “Eu, tal como o João Ferreira, também não gosto nada de quem desiste nem a meio, nem no fim. E por isso é que eu disse e repito que se toda a esquerda tivesse sido firme, nós podíamos já neste momento ter parte desses problemas resolvidos no Serviço Nacional de Saúde. É isto que eu quero dizer, porque nós chegámos agora ao final do ano de 2020 com menos 961 médicos no Serviço Nacional de Saúde.”»
.